Hungria Bonita Visitas Passeios a pé Nos passos do Chico (3h)
Budapeste nos passos do Chico
altPasseio a pé em Budapeste
Duração: 3 horas

Tour para ver lugares do filme intitulado Budapeste, dirigido por Walter Carvalho, baseado no livro do Chico Buarque de Holanda.

Vocês chegaram à capital do país dos Magiares, com a medieval Buda, Bairro do Castelo Real, Igreja Mátyás (Mateus) e Bastião dos Pescadores, Patrimônio Mundial da Humanidade, a Óbuda dos tempos romanos e a Peste moderna, com vistas do Parlamento, formando a chamada pérola do Danúbio, Budapeste. A nossa língua é o Húngaro, língua que até mesmo o diabo respeita. Chico tem a impressão que Budapeste é uma cidade amarela. Vamos descobrir os lugares preferidos pelo Chico.


Descubra o ambiente da nossa capital que os turistas não chegam a conhecer!

Começamos o nosso percurso no Centro da cidade de Peste. Os Magiares (os Húngaros) habitam este território há mais de mil anos, e as três cidades, Buda, Óbuda e Peste foram unificadas apenas há 120 anos. Vamos admirar a primeira ponte permanente entre as duas margens do Danúbio nesta zona, a ponte das Correntes, construída no século XIX. A quase dois quilômetros daqui fica a ponte Margarida, com contato direto à ilha Margarida. Entre as duas pontes está repousando o navio-restaurante Europa, que parece um barco comum mas é também um espaço para eventos privados ou para filmagens como foi o caso do filme brasileiro.

altNa Avenida Andrássy, referida de "Champs-Elysée de Budapeste" se situa um outro lugar das filmagens do Chico Buarque: a Livraria dos Escritores, (Írók Boltja em húngaro). É completamente diferente das enormes livrarias situadas nos enormes shopping centers do Brasil. É uma livraria típica dos tempos antigos, estilo tradicional, não foi renovada ainda: já existia antes da Segunda Guerra Mundial, como os europeus contam o tempo. Visitamos o lugar, situado na zona de bares e restaurantes de moda. A livraria está cheia de estantes de livros até o teto. Normalmente encontramos capas de livros muito interessantes, (por exemplo a estátua famosa do Cristo Redentor combinado com as casas do Parlamento da Hungria em cores de abóbora) a tradução húngara, inglesa e alemã do livro e jornais sobre a filmagem.

De lá seguimos para a Kiadó Kocsma és Étterem (Restaurante Tasca "Editora") situada na praça Jókai, em frente da praça Franz Liszt. Visitamos o lugar onde, na filmagem, os escritores se reuniam para discutir, que mais tarde trabalhava o Zsozé Kószta. Uma pequena sala do bar foi escolhida pelo diretor Walter Carvalho para as filmagens: a sala é muito simples, em cor bordô, é decorada com peças clássicas da literatura húngara dos anos pós-guerra.

Na continuação da Avenida Andrássy, atrás da impressionante Praça dos Heróis, no Parque da Cidade existe uma estátua, homenagem ao primeiro historiador-escritor húngaro do século XII que escreveu a GESTA HUNGARORUM, a história dos húngaros antes de chegarem à Bacia dos Cárpatos. Como nunca ninguém soube seu nome, pode ser chamado „colega anônimo” de José Costa, ou seja, Anonymus (Anônimos) em latim que adquire um significado parecido como a palavra moderna ghost-writer. Chico Buarque escreveu um livro de ficção, sem ter anteriormente visitado Budapeste. Ao introduzir o novo livro no mercado húngaro ele visitou a estátua de Anônimos, gostou dela, e por isso introduziu no filme uma cena em que o ghost-writer Zsozé Kószta faz homenagem à personagem anônima.

Caminhada de 3 horas, tour privado com guia privado falando português